Respirador de baixo custo passa por novo teste antes de ir à Anvisa

79

O respirador de baixo custo criado pela USP (Universidade de São Paulo), que promete ser uma das importantes ferramentas no tratamento de pacientes que se contaminem pela covid-19 no país, ainda passará por novos testes laboratoriais antes de ser submetido à Anvisa (Agência Nacional de Viligância Sanitária). A agência reguladora é a responsável por aprovar remédios e equipamentos para uso médico no país.

Segundo a Anvisa, ainda não foi feito o protocolo formal do processo de registro do Inspire – nome dado ao aparelho. A agência afirma que manteve duas reuniões com os pesquisadores da USP e que, em uma delas, foi informada de que foi necessária a troca de uma placa eletrônica no equipamento. Dessa forma, serão realizados novos testes.

A Anvisa afirma que a análise do equipamento será tratada como prioritária e que não há outros itens na mesma fila de produtos ligados ao combate à covid-19. A expectativa dentro da agência é que a análise leve cerca de 20 dias.